EXAME DA FASE II - DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA


A documentação dos casos clínicos apresentados deve ser de qualidade e incluir modelos, radiografias e fotografias. Somente deverão ser utilizados os registros obtidos antes do início da terapia ortodôntica e após a remoção do aparelho fixo. Contudo, caso o tratamento tenha sido realizado em duas fases, deve-se incluir, também, os registros obtidos antes do início da segunda fase. Além disso, se for do interesse do candidato, podem-se incluir registros de controle pós-tratamento.

Os registros obtidos após a remoção do aparelho fixo podem ser realizados até um ano após a finalização do tratamento. Exames e dados complementares, tais como fotografias e radiografias adicionais, ou medidas cefalométricas específicas, podem ser apresentados, se o candidato entender que são necessários para melhor compreensão dos casos clínicos.

Em toda documentação, o nome do candidato deve estar totalmente encoberto com tarja em preto ou branco, devendo constar somente seu Código de Identificação, que será fornecido após sua inscrição.

Para possibilitar uma avaliação mais uniforme e equilibrada, é necessário que a documentação siga uma padronização. As normas estabelecidas, que são requisitos mínimos para a apresentação dos casos, seguem critérios internacionais e podem ser acessadas nos links abaixo:

Modelos de Estudo

Radiografias

Fotografias

Quem Somos

O Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial é uma entidade constituída por iniciativa da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial - ABOR, que tem como objetivo promover a excelência clínica na especialidade.

© 2018 - Todos os direitos reservados - BBO