Para Ortodontistas


Sobre o BBO


Público em Geral



Dúvidas

    Organização

  • 1.      Capa – identificação do caso (Recortar a folha e inserir no envelope da capa da pasta)
    2.     Descrição do caso clínico – contendo a queixa principal, história médica e dentária, diagnóstico, objetivos do tratamento, plano de tratamento, limitações do plano de tratamento, plano de tratamento alternativo, prognóstico, recursos utilizados, contenção, interpretação das sobreposições cefalométricas e avaliação do tratamento realizado
    3.     Ficha de Cefalometria/Modelo
    4.     Ficha do Índice do Grau de Complexidade (IGC)
    5.     Fotografias faciais e intra-bucais – das diferentes fases, em sequência, no formato “paisagem”
    6.     Traçados e sobreposições cefalométricas – devem estar soltos nos envelopes plásticos (não fixados no papel), dispostos no formato “retrato”
    7.     Radiografias – em conjunto, dentro dos envelopes plásticos, separadas por fases
    8.     Anexos – exames e dados complementares, tais como fotografias e radiografias adicionais de momentos intermediários do tratamento

  • A página título deve ser impressa em folha A4 branca (mesmo tamanho da pasta) e colocada dentro do envelope da capa, após o devido recorte.

  • Sim, mas não é necessário.

  • A documentação pós-tratamento dos casos pode ser obtida até 1 ano após a remoção do aparelho.

  • Trata-se de um objeto parecido com porta-retrato, encontrado em lojas de informática. Possui sistema que prende o papel em sua parte superior, permitindo que o mesmo fique fixo em posição vertical.

  • Toda identificação do candidato deve ser omitida das pastas apresentadas. Os caso serão avaliados por diretores do BBO sem que saibam a que candidato pertencem, garantindo a isenção do exame e seu caráter sigiloso. Somente o Código de Identificação (CI) do candidato deve ser colocado nas pastas, somente reconhecido pelo presidente do BBO, que por sua vez não participa das avaliações dos casos.

  • Os nomes devem estar rigorosamente encobertos com tarjas em preto ou branco; deve constar somente o Código de Identificação do candidato (CI).

  • A sinopse deve ser colocada junto ao primeiro caso, no início da apresentação. Ela pode ser plastificada e colocada em suporte de texto utilizado em computador

  • As radiografias devem ser colocadas nos plásticos que já estão dentro das pastas. Os traçados devem ser separados das telerradiografias e também colocados nos plásticos que estão dentro das pastas.

  • Sim. Recomendamos etiqueta Pimaco, modelo 6089, papel tipo Carta p/ 80 etiquetas c/ 4 colunas (ver exemplo no site do BBO).

  • É o sumário do tratamento e deve estar na página inicial interna, enquanto sinopse é o resumo de todos os casos.

  • Seleção dos Casos

  • Não. Os segundos molares permanentes devem estar presentes e em oclusão.

  • Nos casos em que não exista um caso exatamente igual ao exigido, entrar em contato com a diretoria a fim de obter autorização para a substituição do mesmo.

  • Modelo

  • As distâncias intercaninos e intermolares referem-se aos arcos maxilar e mandibular. A distância intermolares corresponde à largura entre os primeiros molares.

  • Nesses casos deve ser usado bom senso considerando-se simetria, proporção e estética.

  • Essas distâncias devem ser mensuradas considerando-se respectivamente, medida entre as pontas das cúspides dos caninos e entre as pontas das cúspides mésio-vestibulares dos molares direito e esquerdo.

  • Não. Os modelos devem estar recortados de acordo com as recomendações do BBO. Detalhes anatômicos não devem ser removidos. Dentes e rebordos devem estar nítidos e não mascarados por polimento excessivo.

  • Fotografia

  • As fotografias intra-orais são obrigatórias em cada fase do tratamento.
    A sugestão seria substituir esses casos mais antigos por casos mais recentes que possuam documentação completa

  • Não. Somente poderão ser apresentadas fotografias impressas de acordo com o padrão estabelecido pelo BBO.

  • Cefalometria

  • A folha de acetato dos traçados cefalométricos deve estar solta para ser manuseada, sem estar fixada mesmo em papel branco.

  • O cálculo da diferença é feito entre a fase inicial e a final.

  • • 1 régua milimetrada 
    • 1 transferidor
    • 1 esquadro
    • 1 “template”
    • 1 rolo de fita crepe (tamanho pequeno)
    • 1 lapiseira (grafite 0,5 mm)
    • 1 borracha TK plast
    • 1 tesoura reta
    • 1 compasso de pontas secas (pontas de aço) ou paquímetro
    • 1 caneta preta ou azul
    • papel para traçado (acetato)

  • Sim, no caso de medidas. Entretanto, outros planos não devem ser incluídos no traçado.

  • Sobre o BBO

  • O Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial é uma entidade constituída por iniciativa da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial – ABOR, que tem como objetivo promover a excelência clínica na especialidade.

© 2014 - Todos os direitos reservados - BBO